26 de novembro de 2012

Sorria você é mãe!

Você passa boa parte da vida afirmando que não terá filhos, alega uma série de motivos: falta espaço na casa, falta dinheiro, falta maturidade, falta coragem, a inflação subiu, o Euro valorizou, o aquecimento global só aumenta, não fazem mais desenhos animados bacanas como na sua infância, você tem medo que volte a moda dos mullets e você não quer um filho que use isso, enfim, mil motivos para não ter filhos.
Porém o tempo passa, a vida segue e de repente você se pega dizendo: "quero ser mãe". E depois que essa frase é dita, acredite, nada será como antes: uma vontade louca e crescente de ter filho te domina, você começa a parar em frente a todas as vitrines de lojas infantis, se interessa em visitar sites de moda, brinquedos, produtos infantis, esbarra em grávidas, mulheres com bebês, casais com crianças saltitantes o tempo todo, é incrível.
E então acontece, pluft (tá, eu sei que não é bem assim, não tem essa de pluft!), você se torna mãe. Hã? E aí? E aí que você descobre que grande parte das suas teorias são balelas, que você realmente não sabe o que é ser mãe até que seu filho esteja ali, com você. Descobre que aquele ditado: "a mãe nasce quando nasce o filho" é a mais pura verdade, pois até que o fato esteja consumado e seu filho esteja ali em carne e osso (no meu caso mais carne que osso) você não passa de uma pseudo mãe. E isso não se aplica somente às grávidas como muitos pensam, as adotantes também passam por isso, porque mãe é mãe e por que a criança nasce para aquela família, nasce um novo universo, uma nova rotina, afinal filho é filho independente da forma que chega, para mim não há diferença, mas isso é assunto para um outro post.
Não se engane, você se tornará mãe dia após dia, você aprenderá com seu filho muito mais do que ele com você, seu instinto ficará muito mais aguçado e confie nele, ele não falha. Você será mãe no surto e no susto. 
Você perceberá que do muito que você sabia sobre educação, maternidade, criação, na verdade você não sabe é nada. A teoria é muito bonita e funcional, mas quase nunca se aplica à prática.
Você irá se contradizer muitas vezes, limpará o cuspe que constantemente cairá na sua testa, "pagará a língua" mais de uma vez, irá desdizer muito do que sempre afirmou, entenderá que cada criança é um ser único, que o que dá certo com um não necessariamente dará certo com outro.
E você descobrirá uma nova forma de amar e ser feliz. Um amor sem explicação, você sente, mas jamais conseguirá descrever na íntegra como é, e não faltam tentativas. Será feliz só de abrir os olhos e ver aqueles olhinhos te observando. E chorará muitas vezes, ah o choro, ele estará presente e se manifestará quando menos esperarmos. Choraremos de angústia quando algo não der certo, choraremos de aflição por causa da danada da culpa, choraremos ao vê-los sentindo dor, desconforto, frustração, tristeza. E choraremos observando eles crescerem, se desenvolverem, aprontarem molecagens, soltarem pérolas. Choraremos só porque ele sorriu, porque está dormindo tranquilo, porque cantou na festa da escola, porque trouxe de presente uma flor massagada colhida sem muito cuidado de qualquer lugar encontrado.
E você não saberá dizer se também era feliz antes dele chegar, afinal você nem lembra mais de como era antes, você não tem certeza se houve uma vida antes.
Você fará planos para ele, sim fará, é inevitável. Mas o maior de todos esses planos será fazê-lo feliz, se ele estiver feliz tudo faz muito mais sentido.
Sua vida jamais será a mesma depois que você se tornar mãe. Jamais! O tempo ficará escasso, o seu conceito de hora, minuto e segundo mudará drasticamente, o sono tranquilo não te pertencerá mais, privacidade será artigo raro. Mas afinal, quem quer uma vida tranquila quando se pode ter uma vida com emoção genuína?
A sua vida decididamente não será como antes, será muito, muito, infinitamente muito melhor.
Sorria você é mãe!

7 comentários:

  1. Que lindo amiga!!!Perfeito!Realmente ser mãe é maravilhoso,a melhor coisa q já me aconteceu!Bjs pra vc e pro gorducho :)

    ResponderExcluir
  2. Ai, modeuso! Saudade de tudo isso! Vontade de ter mais um... E realmente é tudo isso mesmo, o surto, o susto! Raramente algo é natural, tranquilo... a maior parte das coisas a gente aprende assim: MEU DEUS! COMO RESOLVO? rs
    Mas o instinto fala alto, ele grita e a gente consegue! Somos mães! Ai, q delícia! E é tão gostoso ver o desenvolvimento... Hoje Sofia com 8, ontem na barriga... passa tão rápido e é tão mágico e tão gostoso e tão desorientador! Dá vontade de curtir sempre muito mais de cada etapa, mas ver crescendo tbm é especial. É difícil ser mãe... é complicado o sentimento de querer q sempre sejam nossos bebês, mas tbm de querer ver crescer e ganhar o mundo e ser sucesso e nos dar orgulho!
    Ai, ai.. já to engasgada! Lindo, lindo, lindo o seu post! Saudade desses seus textos!!!

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Linda!

    Excelente texto, ser mãe é uma dádiva cheia de altos e baixos que nós amamos!

    Tenha uma ótima semana!

    Bjooooooooo

    ResponderExcluir
  4. Lindo texto! Esta semana também estou com inspiração para escrever sobre a maternidade...Acho que o final do ano mexe com a nossa cabeça, com os planos para o ano que virá, que passou e lá estamos: mamães de nossos pequenos! Bjks p vc!

    ResponderExcluir
  5. Carine!!!
    Amei!!!
    Valeu a dica, ler esse texto me deu coragem e certeza de que tudo vale a pena com amor e fé.
    Obrigada!!

    ResponderExcluir
  6. Querida amiga, seu texto é de uma sensibilidade sem igual!
    Obrigada por ter aceitado participar do mês das mães com ele lá no blog!

    Amei!

    Grande beijo!

    ResponderExcluir