26 de fevereiro de 2013

De quem é a culpa?

Sport Club Corinthians Paulista x Torcida Organizada x Morte de uma pessoa
Eu estava decidida a não tocar nesse assunto publicamente, a não ser entre amigos, pelo simples fato de ser um assunto polêmico que gera desrespeito, falta de educação e agressão   da parte de algumas pessoas que não sabem debater, questionar, discordar.
Porém não consegui ficar quieta.
Desde que o menino de 14 anos foi morto durante o jogo da Libertadores da América na Bolívia que assisto diariamente uma sucessão de agressões, ofensas e amizades desfeitas nas redes sociais. 
O fato (absurdo e lamentável) é que um sinalizador foi atirado na torcida adversária causando a morte de uma criança. Eu sou humana, sou mãe, lógico que fiquei (e ainda estou) chocada, indignada com o fato e com todo o desenrolar do caso, mas isso não me dá o direito de ofender a todos os corintianos, passar o dia nas redes sociais provocando, xingando.
Torcedor é aquele que compra a camisa, a bandeira, a toalha (e todos os produtos caríssimos) do seu time do coração; é aquele que sai de casa feliz querendo se divertir durante um jogo. Torcedor é quem torce, quem vibra, quem grita, se emociona.
Quem agride, bate, machuca, quebra, destrói, mata, é bandido, marginal. 
Infelizmente as torcidas organizadas se tornaram antro de bandidos. Eles compram a camisa do time, se infiltram e saem espalhando o terror.
E de quem é a culpa pelo o ocorrido? A única vítima é o menino Kevin. Todos os outros envolvidos são culpados sim.
Embora a diretoria do Corinthians alegue que não pode ser responsabilizada pelos atos de terceiros, ela é culpada sim, é responsável sim. Quem gosta de futebol, quem se interessa pelo assunto sabe que TODAS as torcidas organizadas possuem respaldo dos clubes. Não falo do clube A ou B, são TODOS os clubes.
São os clubes que financiam o material para bandeiras, placas, faixas, ajudam a customizar camisas, alugar ônibus. Quem se filia à torcida (parece partido político) paga mensalidade, mas os clubes garantem uma ajudinha a mais. O clube precisa do apoio, da força, da paixão dos torcedores. Os clubes não seriam os mesmo sem eles.
O problema é que justamente por causa do apoio dos clubes as torcidas organizadas ganharam força, são quase membros da diretoria do clube, mandam, desmandam, ameaçam, fazem o que bem entendem e se julgam acima do bem e do mal. Os clubes? Por comodismo e incompetência perderam o controle.
Esse não é o primeiro assassinato cometido por uma torcida, não é o primeiro tumulto, o primeiro crime. E se nada efetivamente for feito não será o último.
Eu perdi as contas de quantas agressões, destruições e mortes já ocorreram no Rio em dias de Flamengo x Vasco.
Quem não se lembra da "torcida" do Coxa destruindo todo o estádio quando o Coritiba foi rebaixado em 2009? E não parou por ali. Após destruírem o gramado, cadeiras, bancos, vestiários... eles saíram pelas ruas da cidade quebrando carros, motos, vitrines, saqueando lojas. Isso é protesto? Isso é barbárie!!
Mas voltando ao Corinthians. O clube é responsável por apoiar as torcidas organizadas, os marginais que compraram o sinalizador, que levaram, que atiraram são responsáveis, a polícia (não só a de lá) é responsável por permitir a entrada desses artefatos nos estádios.
Agora há todo um discurso de todas as partes envolvidas, todos sentem muito, lamentam, mas não tiveram culpa. 
É impossível a polícia desconhecer a existência desses artefatos, assim como o fato das torcidas comprarem, levarem para os estádios e usarem. Cadê a fiscalização? As revistas na entrada dos estádios? Cadê a segurança?
É impossível o clube desconhecer o que a Gaviões faz por aí. Ou será que eles desconheciam a existência da Gaviões?
É impossível você mirar - seja lá o que for - na torcida adversária "sem querer", sem intenção alguma.
Assim como é inadmissível que esse caso seja julgado nas esferas brasileiras e se resolva aqui, com medida socioeducativa para o menor de 17 anos que alega ser o culpado.
Vejam bem, se ele é o culpado significa que a polícia boliviana prendeu arbitrariamente 12 brasileiros  inocentes certo? Então o caso só piora, só complica.
E considerando-se que ele seja inocente e esteja sendo usado pela Gaviões da Fiel por ser menor de idade, o que acarretaria na soltura dos 12 presos na Bolívia e no encerramento do caso com uma medida socioeducativa para um menor de idade (que de acordo com as leis brasileiras não pode ser extraditado por ser menor ), isso significa que a torcida é uma máfia, que esse menino é de um caráter extremamente duvidoso, potencialmente tão criminoso quanto os outros e que seus pais são negligentes, irresponsáveis, igualmente criminosos. Ou ele se submeteu à isso porque, como diria minha falecida avó, "tem caroço nesse angu", talvez muitos caroços. Alcançaram a proporção que a coisa toma?
O crime aconteceu na Bolívia, portanto tem que ser investigado e julgado lá.  O Sport Club Corinthians Paulista tem que ser desclassificado da Libertadores como punição sumária, e que sirva de exemplo para todos os outros clubes. E acima de tudo: as organizadas tem que acabar!!
Aqui em casa somos loucos por futebol. Defendemos que torcida organizada deveria ser proibida. Somos pais e tememos pelo dia em que nosso filho escolherá seu time do coração, comprará uma camisa e pedirá para ir ao estádio assistir ao jogo, se divertir, torcer.
O que houve na Bolívia não pode ser tratado como mera fatalidade, apenas mais um caso de futebol.
O que me entristece e decepciona nas pessoas é que muitas não estão realmente preocupadas com o rumo que as coisas estão tomando, não se importam com uma vida perdida, não se importam com o descaso com que as autoridades estão tratando esse crime. Muitas pessoas se aproveitam de fatos como esse para acirrar as rivalidades entre times, para destilar seu veneno e antipatia pelo time adversário.
Não estão preocupadas com uma vida interrompida, com uma família dilacerada, com nossas leis falhas. Estão preocupadas em falar do "CUrinthians", dos "Gambás", em xingar quem simpatiza com o clube, em desejar o pior para todos os torcedores e funcionários do clube. Em afirmar, sim afirmar, que TODO corintiano é bandido, é marginal, é assassino. Em fazer piadinhas grosseiras e preconceituosas. Mas é tudo "brincadeira" não é mesmo?
Esse tipo de ato é passível de processo judicial. Será que essas pessoas tão espertas, corajosas e cheias de opinião sabem disso?
Esse tipo de atitude ultrapassa a rivalidade, isso se chama fanatismo. E fanatismo é doença, precisa de cuidado, tratamento. É perigoso!
Hoje foi o Corinthians, ontem foi o Flamengo, amanhã pode ser qualquer outro clube.
Vamos crescer minha gente, evoluir. Inteligência pode e deve ser usada sem moderação, assim como o bom senso, a educação, o respeito.
Vamos brigar por leis que funcionem, por um povo mais educado, pelo fim das torcidas organizadas (TODAS), por uma polícia que trabalhe, por diretorias de clube que primem pela competência, ao invés de perder tempo com "Gambás", "Bambis", "Porcos", "Urubuzada favelada".

* Sou flamenguista de coração e corintiana por opção. Meu marido é corintiano apaixonado e flamenguista simpatizante. Meu filho torcerá pelo time que quiser. 
Acima de tudo somos amantes do futebol. Somos seres humanos, pensantes, inteligentes.

10 comentários:

  1. Carine e euzinha sou pó de arroz rsrsrsrs
    Excelente texto, vou resumir tudo em uma palavra intolerância. Está difícil ir p/ campo de futebol...

    Bjos no coração!

    ResponderExcluir
  2. Cá, amei.
    Não curto futebol, não entendo bulhufas.
    Mas já vi coisas horríveis entre palmeirenses e corintianos uma vez, pra nunca mais esquecer. Tenho pavor de violência.
    Acho que a falta de respeito ao próximo vem tomando proporções catastróficas.
    Vidas são encerradas, famílias destruídas, menores (não digo inocentes) corrompidos.
    Estamos as vésperas de receber o mundo todo aqui. Isso é insano, imoral, por inúmeras razões, mas com certeza a falta de respeito é a calda que faltava pra lambança ficar completa.

    ResponderExcluir
  3. Oi Ca!
    Penso como vc. Ficar xingando nas redes sociais não leva à nada. Eu até poderia dizer q não me importo quando falam mal do Corinthians, mas estaria mentindo. Me incomodo muito! Esses dias mesmo, estou quase pra estourar c alguem da minha timeline no Twitter, pois não aguento mais vê-la detonar meu timão.
    É lógico que o torcedor tem q ser punido. A torcida, idem. Quanto ao time Corinthians Paulista, bem, não concordo com sua punição, mas vc nunca, jamais me verá enfrentando quer que seja em qualquer rede social a respeito disso.
    Penso que já é tudo muito triste, lamentável pra gente ter que ver pessoas que se dizem nossas amigas ficar zoando desse jeito.
    Beijos, boa semana =*

    @morenalilica
    Doce Insensatez

    ResponderExcluir
  4. Oi Carine, adorei seu texto, extremamente coerente...
    Concordo absolutamente com sua opinião e te digo mais, torcida organizada e como o crime organizado, que se foca num objetivo e usa de qualquer barbarie em virtude dos seus próprios interesses.
    Eu, como Corinthiana de nascimento, digo que acho que esse garoto não fez absolutamente nada. A familia está ajudando ele a assumir um crime? Sim. São irresponsáveis ou bandidos? Provavelmente não. Provavelmente são pessoas mto pobres, humildes que não tem forças pra lidarem sozinhos contra ameaças, contra pessoas com mto mais dinheiro e poder que elas. Vc tem um filho de 17, mas tbém tem, sei lá, outros 5 filhos e de repente se vê ameaçado de perder todos os teus filhos, oq faz? Provavelmente se deixa vencer...
    Mas olha, essa é apenas a minha opinião...
    Adorei seu texto querida e já estou indicando no face...
    Beijos em ti e cheiros no JM...

    ResponderExcluir
  5. Apaixonada por futebol e psicologia resolvi fazer meu tcc sobre a violência entre as torcidas organizadas do Estado de São Paulo. Meu trabalho foi intitulado "Inimigos anônimos" e justifico o título da seguinte maneira: não importa a identidade da pessoa que está do outro lado da arquibancada, desde que torça para outro time é inimigo. E nesses dois anos de pesquisa eu li e vi muita coisa. Coisas feias e desagradáveis. Muitas vidas foram perdidas em nome de um "amor". Sou palmeirense, acompanhei os jogos do meu time por muito tempo, porém sempre discordei de qualquer ato violento. Uma das mortes que mais me chocou foi a de um corinthiano de 16 anos chamado Marcos Gabriel, que foi espancado por palmeirenses em um clássico. O menino morreu após ser liberado pelo médico, triste.

    Não gosto de generalizações de nenhum tipo. Dentro de uma torcida o publico é heterogêneo, tem de tudo ali dentro. E pasmem o mesmo cara que tem um comportamento normal no dia-a-dia se transforma quando está no meio da torcida. Não acho que o time deva ser desclassificado da competição, mas acho que a torcida deve ser banida para servir de exemplo.

    Nesse caso vários fatores contribuiram para essa morte. Cadê a segurança desse estádio que permitiu a entrada de sinalizadores? Cadê o líder dessa torcida? Porém, a maior parcela de culpa é da pessoa que jogou o sinalizador na torcida adversária.

    Tenho minhas dúvidas quanto a culpa desse menor, enfim na condição de "ser humano" espero que os responsáveis sejam severamente punidos.

    Desculpa o texto gigantesco.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Carine! Temos os mesmos pensamentos!

    Também sou contra a torcida organizada! E não torço para o futebol porque eu acho que não é mais um esporte, mas um jogo de poder e dinheiro: ganha quem tiver mais dinheiro, para pagar torcida, para comprar juizes, etc. Fico decepcionada com isso! Então só acompanho de longe.

    Eu sou palmeirense e meu amor Corintiano! Então eu e ele achamos melhor nunca discutir sobre futebol. As vezes comento sobre algo que aconteceu, coloco minha opinião, mas ele é bem tranquilão! rsrsrs

    Acho que isso só irá mudar, a partir do momento que comerçarmos a pensar e exigir das autoridades competentes punições e claro leis mais rigidas. Mas só tenho esperança que isso mude, porque como tudo envolve dinheiro, acho que irá demorar para acontecer (politicos tbm estão envolvidos com os times)!

    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Carine, as pessoas ficam abismadas qdo eu digo que não torço para nenhum time. Mas olha minha lógica: assim não posso ser xingada por ninguém. Torcer para um time é ganhar um rótulo. Odeio.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Concordo com todas as suas palavras!
    Eu tinha um time, cresci ouvindo jogos, primeiro em rádio, depois em televisão, nunca fui a estádios (não gosto de estar no meio da multidão, tenho medo de sair confusão).
    Atualmente, nem seleção brasileira me atrai mais. Futebol virou uma coisa totalmente diferente do que era. Rola muita grana e aí ........
    Estou levando para publicar no meu Face, ok?
    Todos tem que pensar bem sobre esse assunto.
    Beijos querida.

    ResponderExcluir
  9. Carine,

    Taí um texto que eu adoraria ter escrito. Coerente e explicativo, todo o resto passa a ser repetitivo. Sou contra toda e qualquer violência, me faz mal, me tortura mesmo quando estou longe.

    Parabéns pela sua postura diante de um fato sério que muita gente leva pra outro lado e passa a se indignar não pelo acontecido mas se aproveita para mais uma vez apontar o dedo pra torcida adversária. Perde-se o foco.

    Beijo querida.

    Rosana

    ResponderExcluir
  10. Amo o meu time - Corinthians! Respeito todos os outros times, assim como tenho uma crença e respeito todas as outras religiões. Respeito e quero ser respeitada. Fico triste quando vejo essas coisas acontecerem e mais ainda quando alguns anencéfalos ficam querendo "curtir" em cima de acontecimentos tão terrívels, como foi a morte de uma criança que foi se divertir e perdeu a vida. Texto lindo e muito inteligente. Te admiro cada vez mais. Bjks. Neli

    ResponderExcluir