1 de julho de 2013

Pressa para quê?

Meu filho tem 1 ano e 5 meses, e todo dia é dia de novidade: uma nova gracinha, uma descoberta, um aprendizado.
Ele andou (sozinho, sem escoras ou amparos) alguns dias após completar 1 ano, fala "pelos cotovelos" embora boa parte ainda não seja claramente compreendida, é um menino esperto, inteligente e muito levado.
E sempre que olho pra ele me pego pensando no quanto ele é feliz e saudável, e que é isso o que realmente me importa.
Por que estou escrevendo isso? Porque percebi que há uma certa pressa materna, uma certa competição criada entre as mães. A idade "ideal" para andar, falar, ler, escrever, a alimentação "ideal". Há expressões no meio materno que discordo e desgosto, uma delas é "menas mãe", primeiro pelo "menas" (menas? sério?), segundo porque cada um com seu cada um.
Eu fui "cobrada" porque meu filho já tinha 1 ano e não andava sozinho, porque falava pouco.
Fico espantada com a crueldade de algumas pessoas ao se aproveitarem da insegurança de uma mãe para estabelecerem uma tabela de comparações: 'nossa, seu filho tem um ano e não fala? o meu fala desde os sete meses, anda desde os oito e hoje com um ano e meio fala inglês, corre, pedala, conta até cem..." E daí algumas mães piram, se apavoram, começam a procurar sinais de doença no filho, e dá-lhe consultas médicas, pressões em casa, estresse.
É absurdo! É cruel.
Vejo mães apressando tudo no desenvolvimento do filho, uma pressa descabida. Forçam a falar, a andar, a ler, usar a roupa da moda, o brinquedo educativo da marca tal e que todo mundo tem. Forçam o desfralde, o desmame. As meninas já crescem aprendendo a usar maquiagem, esmalte, perfume, salto. 
Já conversei com uma mãe que colocou o filho na escola com um ano e meio porque queria que ele fosse alfabetizado cedo, e porque os filhos das amigas já estudavam. Só que os filhos das amigas tinham 5, 6 anos. Comparar uma criança de 1 ano com uma criança de 5 anos já beira a loucura.
Eu sempre defendi que criança tem que ser criança. 
Cada criança é única, possui seu próprio tempo.
Quero que meu filho tenha saúde e uma infância feliz. Que ande descalço, tome banho de chuva, pise na lama (tá, não curto muito brincadeiras na lama, mas sei que podem acontecer), se suje de tinta, jogue bola, assista desenhos, colecione bolinhas de gude, leia muito, divida seus brinquedos, seja educado, uma pessoa do bem. 
Eu o incentivarei e estimularei em cada etapa do seu desenvolvimento. Mas sem pressão, sem comparação.  Quero que ele tenha o direito de ser criança, de crescer em paz.

5 comentários:

  1. Clap clap clap. Adoro a forma como fala e lida com a maternidade.

    Criaça tem que ser criança sim, eu apoio essa ideia.

    Esse negócio de menina de 8 anos querer ser mulher não é comigo.

    A infância é uma fase tão gostosa que deve ser aproveitada ao máximo.

    Eu fui criança no sentido literal da palavra. Pulei muros, brinquei na rua, andei de bicicleta, em sujei de barro, viva cheia de hematomas e fui feliz, muito feliz.

    Recadinho para para o JM:

    Agradeça ao papai do céu a mamãe que você tem!

    Beijinhos da titia virtual que ainda vai apertar essas bochechas ao vivo!

    ResponderExcluir
  2. Oi Carine, cada criança tem seu tempo!
    É bobagem as pessoas ficarem perdendo tempo comparando-as, acho isso além de desnecessário totalmente cruel cm vc disse!

    Não se abale com certos comentários, vc sabe das capacidades do seu filho melhor q ning e se um dia vc achar q ele precisa de algum incentivo a mais tenho certo q vc fará!

    N esquente, deixe entrar por um ouvido e sair por outro!

    Bjooos

    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Cá, isso infelizmente é tão comum, existe uam certa competição, comparação que eu odeio. Meus filhos também sempre fizeram as coisas no tempo deles. Nunca forcei nada ou cobrei, por conta dos outros. aliás somos assim em tudo, respeitamos nosso tempo e o das crianças, vivemos nossa vida sem nos importar com a dos outros. Crio meus filhos como acho certo, alimento com equilíbrio e sem neuroses e rio das xiitas que por isso acham que sou "menas mãe" ou "mãe de cesárea". Já vi gente recusar fotografar profissionalmente um parto porque era cesárea, coisas desse tipo e nível me cansam. Gente que "luta" pelas próprias causas, mas esquece de respeitar um ser humano, que tem direito a ter opinião, fazer escolhas e decidir sobre sua vida. Enfim, vc está certíssima, viva sua vida do seu jeito, crie seu filho como acha que deve, não existe fórmula mágica, não existe milagre. Errando e acertando a gente segue, respeitando o tempo e os limites de cada um deles, dando amor, muito amor e disciplinando na hora certa.

    Beijos ♥

    ResponderExcluir
  4. Sabias palavras amiga!

    ResponderExcluir
  5. Hahaha! Eu aprendi a me maquiar sozinha, desde pequenina. Minha mãe até hj não sabe :)
    Tá certa, Vai com calma. O tempo passa depressa, aproveita enquanto ele é pequeno. bjs.

    ResponderExcluir